(31) 3262-3555
(31) 98640-1402

Rua Alagoas, 601 - Savassi - BH MG

Endocrinologia

Dieta seletiva de carboidratos: tira-dúvidas

Dr. Geraldo Santana – Endocrinologista

Posso ficar sem comer carboidratos? Esta dieta não vai me fazer mal?
Primeiramente, cabe lembrar que, apesar de existirem dietas com restrições mais radicais, nesta dieta a restrição é apenas seletiva e, desde o início, ela contem os carboidratos presentes nas frutas, legumes e verduras permitidos. Nos alimentos que foram restritos não há vitaminas, minerais ou aminoácidos que sejam essenciais para o nosso corpo. Estudos com maior duração mostraram que a restrição de carboidratos é eficaz na perda de peso, segura para a saúde e ainda contribui para a estabilização da glicemia e redução do colesterol e triglicérides.

Quando eu voltar a comer carboidratos vou engordar tudo de novo?
Se você teve bom resultado com esta dieta, indica que seu consumo de carboidratos era excessivo e a redução foi positiva para você. Portanto, na fase de manutenção, poderá acrescentar carboidratos em sua dieta mas não deverá comer a mesma quantidade de carboidratos que você comia antes quando adquiriu o excesso de peso. Durante a fase de redução dos carboidratos, as pessoas geralmente desacostumam daquele excesso de carboidratos e se adaptam bem com a dieta da fase de manutenção, relatando que sentem que estão se alimentando de forma normal.

O excesso de proteinas pode sobrecarregar os meus rins?
Embora esta dieta permita um consumo maior de proteinas, o processo de cetose benigna promove também uma redução do apetite e aumento da saciedade. Assim, o que se observa na prática, é que embora a pessoa coma preferencialmente proteinas e vegetais, esta quantidade de proteinas não é muito acima do que as pessoas que gostam de carne comem sem estar em uma dieta. Mesmo que haja um excesso, nosso organismo (incluindo rins e fígado) consegue lidar com estas oscilações no consumo de nutrientes. Caso exista alguma alteração da função renal ou hepática, detectadas pelos exames de sangue solicitados no início do tratamento, a dieta não está indicada a longo prazo pois, dependendo da intensidade, pode haver necessidade de cuidados médicos e nutricionais adicionais.

Comer mais carne, queijo e ovos pode aumentar meu colesterol?
Antigamente, diante de um colesterol elevado, a principal orientação era diminuir ao máximo o consumo de carnes e ovos. Hoje sabemos que apenas uma pequena parte do colesterol sanguíneo é proveniente do colesterol que ingerimos; a maior parte é produzida pelo nosso organismo e depende dos processos enzimáticos do fígado influenciados pelos hormônios e pela genética. Por isso é que em muitos casos de colesterol alterado há indicação de uso de medicamentos. O excesso de insulina, hormônio liberado na presença de carboidratos de absorção rápida (ex: açúcar, massas, arroz branco, farináceos) facilita o aumento da produção de colesterol e, por isso, dietas como esta que reduzem o consumo de carboidratos geralmente melhoram o colesterol e os triglicérides.

Ouvi dizer que nesta dieta a pessoa só perde líquido. É verdade?
O consumo excessivo de carboidratos promove, além do ganho de peso, uma maior retenção de líquidos. Assim, nas duas primeiras semanas de dieta, com a redução no consumo dos carboidratos uma parte do peso que a pessoa perde se refere a este excesso de líquido que estava retido. Mas a perda de gordura continua e isso é facilmente demonstrado pela redução das dobras cutâneas e da circunferência abdominal ou mesmo pelos exames de composição corporal.

Nesta dieta posso perder mais massa muscular do que em outras dietas?
No emagrecimento de qualquer tipo de dieta, é normal e esperado que haja uma diminuição aproximada de 1kg de massa muscular para cada 4kg de gordura. Esta proporção sofre interferência de vários fatores como tipo de atividade física, hormônios, idade e quantidade de proteinas da dieta. Embora a massa muscular reduza em kgs absolutos, ela aumenta em percentual da composição corporal que é o que realmente importa. Um estudo comparou as variações de composição corporal durante o emagrecimento com diferentes tipos de dieta e observou que a dieta que apresentou menor diminuição de massa muscular foi a de redução de carboidratos.

Então qualquer pessoa pode fazer esta dieta?
Um dos principais objetivos em um tratamento de excesso de peso é identificar qual tipo de dieta mais combina com o perfil, hábitos e preferências de cada paciente pois só assim seus princípios serão mantidos a longo prazo. Existem várias dietas eficazes e esta é uma delas, mas há pacientes que não toleram ou não respondem a ela. A avaliação clínica minuciosa e a experiência do examinador ajuda a selecionar o melhor método de tratamento para cada caso.

voltar ao topo da página